aprender
release-Tibor-Lobato1
Entrevista com o autor da saga “Tibor Lobato”

A Odisseia de Tibor Lobato – O Oitavo Vilarejo é o primeiro romance de literatura fantástica de Gustavo Rosseb, que resgata personagens clássicos do folclore brasileiro como a Mula Sem Cabeça, o Boitatá e a Cuca numa trilogia de tirar o fôlego.

Voltado para o público infanto juvenil, a saga traz toda a magia e as crenças de um povo de forma criativa e divertida. O livro foi lançado em 31 de outubro de 2011 (Dia do Saci) de forma independente e agora, em 2015, o Grupo Pensamento, através do selo Jangada, leva essa aventura para todo o território nacional.

O MãeGeek conversou com o autor, Gustavo Rosseb e a entrevista ficou super bacana! Confira!

Mãe Geek – Como surgiu a idéia de escrever a saga infanto-juvenil “A Odisseia de Tibor Lobato – O Oitavo Vilarejo”?
Gustavo Rosseb –  Eu sempre fui fascinado por folclore brasileiro e sempre fui fã de hirtórias bem contadas. Quando criança, eu tinha a estranha mania de criar continuações para os meus filmes prediletos e convidava meus amigos a encená-los na frente da minha casa. Foi só quando alcancei os meus 17 anos que arrisquei escrever um livro de verdade. Naquela época eu era bombardeado por histórias fantásticas como O Senhor dos Anéis e Harry Potter e meu primeiro livro vinha com todas essas influências, não só em linguagem, como também em personagens e mitologias. Mas, alguns anos depois, ao lê-lo, achei que o livro não passava de algo que era mais do mesmo. Tinha elfos, anões, arco e flecha, bichos que se pareciam com orcs, dragões e magos. Me considerei um legítimo “paga pau” como dizem. E aquilo corroeu o meu cérebro por um bom tempo. Queria criar algo mais original. Foi aí que lembrei da minha paixão pelas lendas brasileiras. Não aquelas que estamos acostumados, como as do Sítio do Pica Pau Amarelo, mas sim aquelas histórias de assombração que seu primo conta na beira da fogueira, no sítio de sua avó, e que tiram o seu sono por semanas. Daí foi só somar a fome com a vontade de comer, com a comida propriamente dita. Eu tinha a faca e o queijo na mão. Tinha apenas que desenvolver. Em 2009 para 2010, já com meus 25 anos, reescrevi toda a história adaptando nossa cultura em um formato infanto juvenil moderno e universal. Nos moldes de Maze Runner, Harry Potter, Percy Jackson, Jogos Vorazes e Desventuras em Série. E me descobri um escritor de verdade. Assim nasceu A Odisseia de Tibor Lobato. Como uma odisseia pessoal.

Mãe Geek - O que podemos esperar dessa trilogia inspirada no folclore brasileiro?
Gustavo Rosseb – Podemos esperar grandes coisas. Além de toda a aventura vivida pelos personagens de Tibor Lobato, sua irmã e seu amigo, em um local acolhedor e ao mesmo tempo pergioso como o sítio de sua avó Gailde, que fica na Vila do Meio. Além também de todo o desenvolvimento desses personagens de forma que podemos nos identificar com suas jornadas em cada situação vivida. Além, inclusive, de todo o resgate da nossa cultura revisitada em personagens famosos como a Mula sem cabeça, o Saci e o Curupira e outros nem tanto, como os Trasgos e a Porca dos sete leitões. Podemos esperar também suas adaptações para o cinema! Hehehe!

Os direitos foram cedidos para a adaptação do primeiro livro e a promessa é que ele deva chegar aos cinemas em meados de 2018 pela Parakino Filmes.

Mãe Geek – Você acredita que depois do mega sucesso de Harry Potter os jovens buscam uma literatura com bastante aventura e suspense?
Gustavo Rosseb – Não só os jovens como as crianças e os adultos. O infanto juvenil traz questionamentos sobre a vida de uma maneira lúdica. As vezes é mais fácil enxergar alguma coisa quando ela se mostra em metáforas. Exemplificações do nosso cotidiano. Essas histórias camuflam nossos medos, nossas paixões, nossos desejos e nossos embates diários em uma roupagem fantástica. São, praticamente, reflexos de nós mesmos, enfrentando situações adversas, nós mesmos colocados à prova. Creio que esse tipo de literatura tende a tornar a vida mais leve.

Mãe Geek – A série Tibor Lobato também foi lançada em formato áudio-livro. Conte-nos um pouco sobre o projeto “Escute Um Livro”.
Gustavo Rosseb – Esse projeto foi feito em 2013. Era época de Bienal do livro e a editora que o havia lançado naquele tempo, não tinha stand por lá. Então, lá ia eu, todos os dias, com uma mochila nas costas, cheia de livros do Tibor Lobato e a mão repleta de flyers. Eu distribuía aqueles papéis o dia inteiro, conversava com muita gente sobre o livro e voltava sempre de mochila vazia para casa. Num desses dias, checando meu facebook (eu também cuidava da divulgação on line do livro) me deparei com a mensagem de uma garota. Ela dizia que sempre acompanhava a divulgação do meu livro, mas que nunca o havia lido por que era deficiente visual. E perguntou o que eu poderia fazer por ela. A primeira coisa que eu fiz foi me oferecer para ler o livro pra ela (adoro fazer isso, já li pra muita gente, crio a voz de cada personagem e me divirto tanto quanto quem o escuta). A segunda coisa que fiz foi prometer achar uma solução mais efetiva.

Eu não sei que tipo de energia rege o nosso planeta, o que sei é que no dia seguinte, na Bienal, uma moça me puxou pra dentro de um stand enorme, alegando que eu tinha cara de escritor e que devia conhecer o tal stand. E meu queixo caiu quando percebi que o stand em questão era de uma fundação que confecciona materiais para cegos. Ali fiquei por horas colhendo informações sobre o braile e o audiolivro. Mas, claro que tudo era muito caro para um pobre escritor, quase independente. Pesquisei mais possibilidades e encontrei o tal do financiamento coletivo. Existem sites de financiamento coletivo que funcionam da seguinte maneira: você apresenta o seu projeto, o explica em vídeo, diz o quanto precisa pra fazer esse projeto funcionar e as pessoas que se identificarem com ele podem apoiá-lo com qualquer quantia. Assim que você atinge o valor necessário, o dinheiro vem e você faz o projeto acontecer.

Fiz os orçamentos, gravei o vídeo e coloquei no ar um projeto que não só ajudava a garota que me escreveu, mas também visava transformar meu primeiro livro em mil audiolivros para doar para mil crianças cegas. Precisava de R$ 15 mil para concretizá-lo. Consegui quase 200 apoiadores e esbarrei nos R$ 17 mil alcançados. Com isso pude fazer um material de qualidade. Convidei o Hélio Vaccari (voz do mago Gandalf de O Senhor dos Aneis e do cachorro Brian de Uma Família da Pesada) para a narração. Uma boa parte já foi entregue e ainda busco lugares que recebam doações de audiolivro para a entrega do restante.

Com esse projeto, consegui fazer o livro virar notícia e uma coisa acaba chamando a outra. Mais tarde veio a possibilidade do filme e hoje, o livro é relançado pelo Grupo Pensamento. Uma editora grande que faz a distribuição do livro em âmbito nacional.

Veja o projeto Escute Um Livro aqui.

Mãe Geek – Obrigada Gustavo! O MãeGeek agrade a entrevista e deseja muito sucesso pra você!
Gustavo Rosseb - Eu que agradeço pela oportunidade de falar a respeito das minhas loucuras nessa vida!

E obrigado Bianca Jhordão pela força. Pra quem não sabe, ela foi jurada de um programa da Sony, o Breakout Brasil, um reallity show de bandas independentes, onde minha banda, o Capela, participou também.

O livro pode ser encontrado aqui.

 

A carioca Bianca Jhordão é apresentadora, repórter e vocalista / guitarrista de uma das mais celebradas bandas do cenário underground brasileiro, o Leela. Na televisão, Bianca apresentou programas nos canais Nickelodeon, PlayTV, Canal Brasil e Canal Sony. Também é DJ e mãe do Theo, de 5 anos.

2 Comments
  1. Luciano Reck

    Gustavo, que entrevista bacana! A cada dia que passa sou mais teu fã. Livro incrível, que vai bombar nas livrarias e em breve nos cinemas.

    • O Gustavo é mesmo muito talentoso, Luciano! Parabéns pra ele e vamos continuar divulgando as idéias dele aqui no Mãe Geek! beijos Bianca :)

Leave a comment